quarta-feira, 2 de junho de 2010

Pensamentos meus.


Busquei as melhores palavras para explicar sentimentos.
Viajei no tempo, por tempos remotos.
Corri entre labirintos a fim de encontrar a saìda.  
Fechei os olhos para relembrar do que passou.
Contei històrias de um passado pròximo, de um futuro distante.
Ouvi pela milésima vez aquela mùsica que me transporta a um momento ùnico, intocàvel, impermeàvel, que se perderam numa confusão de pensamentos meus.
Esperei a chuva de uma noite de verão e me banhei sob a luz do luar.
A luz da lua que antes era companheira, conselheira, minha.
Escrevi cartas com o olhar, no papel, na areia, no tempo...
Fiz ressurgir momentos para que as lágrimas me libertassem, me acompanhassem, surgissem.
Olhei fixamente para o nada com o intuito de resgatar algo perdido, que nem sei ao certo o quê.
Me neguei o porquê de ser.
Mas, me permitir viver.
Pintei telas de conversas nas paredes de sonhos e desejos ímpetos, que me trazem a felicidade.
Fechei os olhos a fim de pensar.
Me perdi em meio a tantos pensamentos,
a tanto anseios.
E tudo se fez breu...
Numa confusão de pensamentos meus.


Por: Dhalila Nogueira.