sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Palavras.


A necessidade de expressar o que está encarcerado em mim,
me domina.
 O desejo de ver e sentir o que no âmago berra, grita,  me alucina.
Mas, na hora de maior necessidade as palavras se transformam em entrave e não conseguem demonstrar meu sentir.
Não as encontro.
As remeto, então, ao desconhecido, 
ao improvável, 
ao acaso.
Não há mais palavras vertidas em pensamentos.
Agora há, fragmentos distintos de poesias sem nexo nascidas de mim.


Por: Dhalila Nogueira.