domingo, 3 de abril de 2011

Nevoeiro.


eStOU como um ciclo estilhaçado que parte do princípio, percorre caminhos entristecedores, raros, incríveis, inesquecíveis, apaixonados 
e esquece-se de como recomeçar.  
Estou cansada, meio que exausta.
Mas, continuo a buscar.
E...
Procuro-me.
Reviro-me.
Mas, não há nada de mim.
Não existo mais.
Não me pertenço mais.
Perdi-me tentando encontrar a outra parte de mim.

Por Dhalila Nogueira.