segunda-feira, 26 de setembro de 2011

lapso III.

foda-se a vida
foda-se as pessoas que fazem da vida
a minha vida
foda-se o tempo
e que o tempo reserva pra mim
agora, amanhã, quem sabe...
foda-se tudo o que eu espero que aconteça
os meus sentimentos estilhaçados
minhas decepções acumuladas
e foda-se as decepções que ainda virão
foda-se tudo
mas foda-se agora, pois eu quero gozar da vida e decobrir o que é viver.

por dhalila nogueira.

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

No hoje.

Aprendi que cada momento deve ser vivido como se fosse o último.
Que cada sorriso, cada lágrima devem ser apreciados como se fossem os últimos.
Por que quando tudo chegar ao fim - pois acreditem ou não, nada é eterno -
pelo menos você poderá recordar e dizer "valeu apena".
Aprendi tarde demais.
Não consiguo rememorar, me orgulhar ou me sentir realizada completamente com algo.
Mas, se cada momento da minha vida fosse preenchido por momentos perfeitos, não seriam momentos perfeitos.
Seriam normais.
Eu nunca saberia o que é de fato a felicidade se nunca tivesse experimentado as dores que volta e meio me assolam.
Sabe...
Agora eu estou feliz, finalmente.

por dhalila nogueira.

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

lapso II.

Me disseram que pra ser feliz você deve acreditar na felicidade.
Que opiniões formadas e findadas sempre podem ser mudadas pelas circunstâncias
e que por isso nunca se pode dizer nunca.
Me julgaram por lapsos de representação.
Me rotularam pela aparência.
Decidiram por minha mudança.
Cansaram do meu eu.
Me deserdaram da chance de ser feliz.
Me disseram que o desejado nem sempre é alcançado,
mas, esqueceram de me explicar o porquê.
Que na vida depara-se com surpresas e que em cada destreza, evoluí-se.
É a conquista do saber.
Me disseram que o amor é um monte de coisas, uma reunião de fatos
e que o passado sempre pode estar presente.
Mas, só vendo para crer.
Concluí que julgamentos acabam por não desvendar quem realmente somos ou iremos ser.
Tranquilizei meu espírito, me reinventei
e no hoje só anseio por viver.

por dhalila nogueira.