terça-feira, 13 de março de 2012

Falta.

Falta poética.
Faltam inspirações. 
A vida parou e nada, nada de emoções, de quereres.

Ai volta ...
Volta disfarçado o passado, em letras de poesias transformadas em música ofertada a mim.
Indiretamente para mim.
Ai me visita ...
Retorna ao lugar antes palco de declarações, insatisfações, do meu querer.
Volta e percebe que apesar do tempo decorrido, continua sendo o querido.
E confesso por entre essas linhas, a saudade que sinto.
De fazer o presente, excluso de toda a dor, rancor e mágoas existentes.

Falta coragem de confessar tais pretensões.
De lutar e buscar, por entre o orgulho, o reencontro dos olhares, esta inspiração.

por dhalila nogueira.