quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Quietude.


Eu te amo!

Gritava ela em voz alta.
Berrava aos quatro cantos dentro de si.

O amava em silêncio, porque por dentro tudo é mais verdadeiro.