terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Fim de mundos!

São dias... ou melhor, meses, sem uma poesia digna de ser difundida.
Sem uma poesia na qual me reconheça, poeticamente falando.
Me perdi de pessoas que considerava amigas.
De desejos e planos para um futuro próximo.
Tão próximo que chegou, passou e nem vi.
Fase de realojamento de prioridades, vontades, de mim.
Já que será o fim de uma era, que eu morra e renasça de acordo com o tempo.
Que eu me reencontre e refaça diante de tudo que me aguarda, de tudo que aguardo.
Paz e bem, e que venha o melhor.