terça-feira, 16 de junho de 2015

Agora!

Enquanto você espera o amor nunca recebido.
A calmaria de dias felizes.
A chance de viver algo belo.
A realidade lhe xicoteia.
Lhe surra com verdades.
Lhe convence do não correspondido.
Da paz nunca existente.
Mais uma vez lágrimas de ódio.
De revolta.
De... Porquê, novamente, eu?
E o dia finda.
A noite causa temor.
Os ossos estremecem.
Insatisfação!